Siga

Receba atualizações

Paralelo

Por Assessoria •

JHC defende criação de Plano Municipal da Primeira Infância para Maceió

Maceió tem 86 mil crianças entre 0 e 6 anos, período conhecido como Primeira Infância. Do total, 8 mil vivem em famílias pobres ou extremamente pobres e que não estão inseridas no Programa Bolsa Família. JHC vai trabalhar para mudar essa realidade por meio do investimentos e da criação do Plano Municipal da Primeira Infância, visando a garantia dos direitos desse grupo.


“Investir na primeira infância é uma das melhores estratégias para quebrar o ciclo da pobreza. A miséria não pode ser hereditária e cuidar das nossas crianças não é só uma necessidade, é uma obrigação do prefeito. Do ponto de vista do desenvolvimento social e econômico, a primeira infância é o investimento mais acertado. Seguiremos esse caminho para melhorar a vida dessas crianças e famílias.”, afirma JHC.


A cobertura de creches em Maceió para é de 30%, um indicador muito abaixo do recomendado pelo Plano Nacional de Educação, que é de 60%. Entre as proposta de JHC para a Primeira Infância está a ampliação no número de vagas nesses locais. Uma medida que não beneficia apenas a formação dessas crianças, como dá a possibilidade dos pais trabalharem com a certeza de deixá-las num espaço adequado.


“Trabalhar com foco nas necessidades é não só atender uma parcela significativa, de 10% da população local, é também evitar gastos sociais maiores e elevar os ganhos para toda a sociedade no futuro. Você cria um jovem mais seguro, mais independente, mais responsável. e isso reduz custos com reforço escolar, com saúde e principalmente, com segurança.”, finaliza JHC.


Um número preocupante chama atenção na saúde dos bebês em Maceió, três em cada quatro mortes de crianças com menos de 1 ano acontecem por causas evitáveis. Sendo assim, é extremamente importante pensar numa rede de atendimento para esse grupo na saúde pública. JHC defende a viabilização de uma estrutura de referência dedicada à Primeira Infância, proposta inserida no futuro Plano Municipal da Primeira Infância.

Jana Braga