Siga

Receba atualizações

Jana Braga

Por Jana Braga

Único parlamentar de Alagoas no Conselho de Ética, JHC pode ter que votar contra colega

As representações protocoladas pelos partidos REDE, PSOL, PT e PCdoB, que pedem a cassação do deputado federal Eduardo Bolsonaro, no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Federal, pelas declarações sobre um novo AI-5, ainda não têm clima de ebulição apesar da repercussão negativa da entrevista do filho presidencial.


Líderes partidários e o colegiado querem observar o comportamento de Eduardo antes de dar andamento no processo, que primeiro precisa ter admissibilidade.

Único deputado de Alagoas no Conselho de Ética da casa, JHC, tem uma boa relação com o zero três (03). O que não quer dizer que apoie a declaração do colega, até por ter tido a própria legitimidade parlamentar atacada na mesma fala.

Não há o que se questionar. A declaração foi grave. Uma demonstração de desprezo à democracia e mais do que um flerte com o autoritarismo. No mesmo estilo conflituoso da família, Eduardo vai colecionando inimigos no parlamento que, sem dúvida, gostariam de lhe dar uma lição rigorosa. Mas o regimento dispõe de outras penalidades como, por exemplo, a suspensão temporária.

Quanto a JHC, se o processo avançar poderá ser cobrado pelo PSB.

Paralelo